Notícias

Órgãos da Defensoria e comarcas ganham novas designações


Cinquenta e oito defensores públicos participaram de sessões de designação nas últimas três sessões de designações ocorridas na Defensoria Pública do Estado do Ceará. As escolhas pelos órgãos de atuação foram promovidas pelas Coordenadorias das Defensorias da Capital (CDC) e do Interior (CDI), com objetivo de atender as demandas processuais em Fortaleza e nas comarcas espalhadas pelo Estado.

Nos dias 27 de setembro e 2 de outubro, 27 defensores compareceram a sessões ocorridas no auditório da sede da Defensoria. Foram preenchidas as vagas seguindo critério de antiguidade, em órgãos de Fortaleza - como Defensorias Cíveis, Criminais, Júri, Nuapp, Rede Acolhe e Varas de Organizações Criminosas - e municípios da Região Metropolitana, como Caucaia e Maracanaú.

Mais recentemente, no último dia 3 de outubro, foi realizada sessão de designação de 31 novos defensores públicos, na Escola Superior da Defensoria Pública (ESDP). A distribuição ampliou o alcance da Defensoria, uma que vez que doze cidades do interior que não tinham atuação de defensores passaram a contar com a presença da instituição. São elas: Boa Viagem, Brejo Santo, Crateús, Granja, Icó, Itapajé, Mauriti, Mombaça, São Benedito*, São Gonçalo do Amarante*, Trairi e Viçosa do Ceará.

A Defensoria Pública conta agora com 345 defensores públicos nos quadros da instituição. Todas as cidades acima de 45 mil habitantes passam a ter um defensor público no Ceará. São 21 cidades que ganham reforço no acesso à justiça e educação em direitos, dos quais doze não havia presença da Defensoria até então. No total, 57 municípios cearenses passam a ser atendidos pela instituição, o que corresponde a 77% da população do Estado do Ceará.

Segundo a defensora pública Natali Pontes, coordenadora das Defensorias da Capital, o trabalho de designação requer um monitoramento constante. “Há sempre essa movimentação, pois podem ocorrer a criação de novas Varas, a mudança de categoria de municípios, entre outros acontecimentos. Isso nos exige estar sempre observando o cenário, atentos às mudanças para haver uma  nova alocação dos nossos recursos humanos, tão caros para a população do Estado”, explica.

Sobre a designação dos novos defensores públicos no interior, a defensora pública Andrea Rebouças, coordenadora do CDI, ressalta que é o início deles na carreira, com um caminho desafiador e transformador pela frente. “São 31 colegas que escolheram a titularidade e os órgãos de atuação. Isso para a Defensoria é muito significativo. Ter visto cada um com brilho no olhar, energia positiva, garra e cheios de esperança para exercer com amor a profissão que eles abraçaram, isso nos deixou muito felizes. O CDI deseja a todos muito êxito na Defensoria, que essa nova vida seja regada de muito sucesso e muitas realizações pessoais e profissionais”, disse.

*São Benedito e São Gonçalo do Amarante serão preenchidos em designações posteriores.

 


Últimas notícias

+ Noticias